Evangelho orado – Terça-feira da XXV Semana do Tempo Comum

Evangelho orado – Terça-feira da XXV Semana do Tempo Comum

20 de Setembro de 2022
Terça-feira da XXV Semana do Tempo Comum
Santo André Kim Taegon e companheiros
Mártires -Memória obrigatória
Texto Orante: Centro de Iniciativa de Pastoral de Espiritualidade
CIPE

Motivação

Faça-se consciente da presença de Deus aqui e agora. O Espírito lhe abre os ouvidos para que escute a boa nova da salvação. Peça-lhe que serene seu corpo, pacifique seus sentidos e silencie sua mente.
Descalce para escutar a Palavra que nos aproxima uns aos outros para viver como irmãos e ser luz que espera a humanidade. A condição para ser ganhados, seduzidos por sua Palavra, é estar perdidos a tudo para ganharmos ao TODO.
“Que andando enamorada
me fiz perdidiça e fui ganhada” disse São João da Cruz.

Evangelho de São Lucas 8, 19-21

Naquele tempo, a mãe e os irmãos de Jesus aproximaram-se, mas não podiam chegar perto dele por causa da multidão. Então anunciaram a Jesus: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem te ver”. Jesus respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática”.

Comentário Orante

A Palavra de Deus é sua primeira fonte de vida, a que alimenta sua relação com Deus. recorda Maria, a virgem ouvinte, que acolhe com fé a palavra de Deus.
O Evangelho é lugar de encontro com Jesus e sua palavra desperta desejos profundos de vida nova.
Escutar a Palavra supõe descalçar-se, não querer dominar. Não apropriar-se ou possuir. A escuta mais pura se dá na desnudez. Não atrapalhar nem colocar nome ou etiquetar o que nos chega, pretendendo conhecê-lo. Santa Teresa insiste na humildade como primeira virtude para escutar a Deus. Humildade é estar despertos na verdade de nossa precariedade e limitação habitada de beleza.

Palavra dos Místicos

Nos disse Santo Padre João da Cruz:

“Uma palavra falou o Pai, que foi seu Filho, e esta fala sempre em eterno silencio, e em silencio há de ser ouvida a alma”.

(Avisos Espirituais, 100/21)

Oração

Pai, que não tenha medo a abandonar-me em Ti.
Me amas como não posso nem imaginar,
me dás a vida, cuidas de mim, me proteges…
Tua Palavra, Senhor, sempre me surpreende
e não gosto… mas a necessito.
Que minha escuta seja cada vez
mais profunda
e minha entrega seja mais
sincera e audaz.
CIPE

Tradução livre do App Evangelio Orado oferecido por Carmelitas Descalços Província Ibérica

 

 

Tradução e montagem: Ciça de São João da Cruz, OCDS

Referência:
• – Imagens disponíveis na WEB

Post a Comment